sexta-feira, 1 de agosto de 2008

Gaya

Abaixo segue um texto que escrevi em 23 de Abril de 2008, um dia após um terremoto que atingiu de surpresa uma parte do nosso país. Chamo a atenção para o fato de que o planeta está mudando e com ele, devemos mudar também. Espero que seja uma leitura agradável.


Gaya pede sua ajuda, até quando vamos nos fazer de cegos?

No dia 26 de Dezembro de 2004 o planeta deu um alerta geral a toda a humanidade: "Não estou feliz com o que anda acontecendo, disse Gaya"... Tudo isso veio através de um terremoto de mais de 8 graus na escala Richter que atingiu num ato reflexo a indonésia e outras ilhas ao redor, matando milhares de pessoas de uma só vez.

Este terremoto foi tão forte e mexeu tão profundamente na estrutura da Terra que seu eixo foi alterado em alguns graus, mudando completamente o mapa global. Isto, como um agravante, gerou mudanças climáticas que vem aumentando a cada dia como um câncer que se alastra por todo o corpo de um doente.

Desde então Gaya, o espírito que habita este planeta tem nos dado vários sinais de que está mudando.

O mais recente destes sinais veio ontem com o terremoto que abalou por 5 segundos muitas cidades da costa de São Paulo, RJ, Santa Catarina e que foi sentido até no interior do Brasil.

Foi um terremoto pequeno se comparado a muitos outros, apenas 5,2 graus na escala Richter, porém ocorreu tão perto da costa, no mar, que se tivesse sido um pouco mais forte, poderia sim ter gerado um Tsunami na costa brasileira. A primeira pergunta é: Quando vocês ouviram falar de um Tsunami atingindo a costa brasileira?

Existe um fato que muitos humanos se negam a tomar conhecimento, fato este que diz: Tudo deve evoluir, é uma tendência natural. Viemos de uma fonte e estamos retornando para ela, e neste retorno estamos incluídos, nós, e toda a vida que habita este planeta, inclusive seu próprio espírito, Gaya.

Aliás, é de se notar que muitos de nós, imersos num sono profundo, cegos pelos prazeres que o corpo nos dá nos esquecemos que: não somos seres humanos em busca de experiências espirituais, somos na verdade seres espirituais vivendo umas experiências na carne. Porém, ao permitimos que o Ego nos dominasse, acabamos caindo em suas armadilhas, nos rendendo aos seus desejos e seus medos.

E por termos caído desta maneira, pagamos o preço.

Quem se lembra do filme "O dia depois de amanhã"? Onde o planeta passa por mudanças climáticas drásticas, que ocorrem no período de três dias.

Pois é, cientistas de todo o mundo previam exatamente o que acontece no filme para um período de 100 anos. No final de 2007 anunciaram que tudo aquilo pode ocorrer até 2012.

Já pararam pra refletir que temos apenas mais quatro anos pra repensar nossas atitudes?

Aliás, alguém aqui já leu "O Calendário Maia" ou qualquer texto que verse sobre Ascencionismo? Se não leram, deveriam ler...

É um fato inegável que o planeta está passando por terríveis mudanças e que ao contrário do que pregam por aí, são irreversíveis. Não há mais concerto para o que nós mesmos causamos. E Gaya, que tão amorosamente se ofereceu para nos acolher nesta experiência está cada vez mais e mais triste com tudo isso.

Porém como já disse no começo do presente artigo, tudo deve evoluir e o planeta decidiu seguir seu caminho, cabe a nós fazermos o mesmo.

Mas como?

Vocês já observaram como aumentaram a violência, a criminalidade, a injustiça, a fome, as doenças e a morte, num grau tão espantoso que não dá pra acreditar, não dá pra entender?

Em minhas orações sempre me pergunto: "Senhor, onde iremos parar com tanto ódio nesta terra?"

E desta mesma indagação surge uma resposta: Precisamos de Amor, mais amor e cada vez mais e mais amor.

Não aquele amor físico, não Eros ou Philos, precisamos de Ágape, um amor incondicional. Aquele que Jesus nutriu por nós e fez com que se sacrificasse para limpar as merdas que nós mesmos insistimos em continuar fazendo.

Pare, feche os olhos um momento, não precisa ser médium, ou mesmo ter qualquer experiência espiritual para sentir, já vai longe o tempo em que segredos espirituais eram privilégios de uns poucos iniciados. Hoje está tudo aí, disponível na banca de jornal ou na internet, basta querer e procurar.

Mas, continuando, feche os olhos, sinta, pense no sol lindo que nasceu hoje, no orvalho da manhã, pense que, apesar de tudo, o sol nasce para todos, ele em sua grandeza, brilha com igual intensidade para o justo e para o injusto, para o bandido e para o herói, para o pobre e para o rico. Debaixo de seus raios somos todos iguais, assim como somos todos iguais perante esta força que nos une, a qual chamamos de Deus.

Quisera fosse todos como o sol, brilhando em amor para toda a humanidade sem distinção.

Mas, por que continuar seguindo neste ritmo? Por que continuar nos digladiando, nos matando, destruindo o pouco da terra que nos resta e nos sustenta.

Precisamos de mais Amor neste planeta. Existem milhares de grupos por todo o globo que se reúnem a fim de enviar vibrações de Paz, Harmonia, Amor e Luz para toda a humanidade. Mas ainda assim, somos poucos.

Às vezes, em minhas meditações diárias, sinto um enorme cansaço, um enorme desânimo se aproximando e dizendo para parar porque esta guerra está perdida, e é então que encontro mais e mais força para continuar. Mas sou obrigado a confessar que uma andorinha só não faz verão, e Gaya pede mais e mais ajuda.

O planeta inteiro está incomodado com a situação no geral. Mas, se mais e mais pessoas não se conscientizarem do que está acontecendo realmente, perderemos esta guerra. E acredite-me, estamos no meio de uma guerra sem precedentes, uma guerra não pelo petróleo ou pelo dinheiro, mas pelas almas que habitam este lar a que chamamos de terra. E isto se reflete não no plano espiritual, onde as batalhas são travadas, mas sim no plano físico através da destruição em gotas deste planeta.

E hoje, realmente senti medo de não ver mais o sol tão lindo que vi ontem e hoje, com direito a conjunção com a Lua Cheia as 6:00 da manhã e arco-íris as 7:00. Não um medo da morte, mas sim, medo de perder esta guerra.

Serei pai agora, e todos os dias fico me perguntando que mundo deixaremos para nossas crianças? Que mundo vocês esperam ter para sua aposentadoria?

E a única coisa que o planeta pede é Amor. É tão simples, basta acolher bem o próximo, basta que nos olhemos nos olhos e desejamos bem ao outro de coração aberto.

Enfim, basta um simples ato: Ame.

Até quando nos faremos de cegos?

São Paulo, 23 de Abril de 2008.

M.´.

2 comentários:

  1. é realmete bom ler essas linhas e saber que pessoas, muito poucas por sinal, mas existem, se preocupam com o que será do planeta terra!

    ResponderExcluir
  2. Encontrei seu blog...e a princípio gostei muito...bem escrito...principalmente este texto. Hoje sendo mãe e amando incondicionalmente entendo perfeitamente os seus dizeres...só o amor para modificar tudo...estamos infelizmente esquecendo disso...e por isso sofrendo as consequencias...
    Mas nunca é tarde para mudar...vamos começar através do Lucca e do Nicolas né!!! Ensiná-los e amá-los muitoooooo...

    bjs

    ResponderExcluir

Olá, deixe aqui sua mensagem, crítica, sugestão ou elogio. No final, cada palavra dita é importante e serve para aprimorar a informação fornecida pelo autor.

Obrigado.

M.