quinta-feira, 25 de junho de 2009

Como Iniciar seus Estudos Mágicos

Eu ainda lembro, comecei meus estudos e práticas aos 13 anos de idade, por pura curiosidade, lendo um livro sobre Projeção Astral. 


Tudo era tão diferente, as informações não estavam tão disponíveis como hoje. Era necessário as vezes a boa vontade de alguém já iniciado para nos guiar. 

Graças ao Bom Deus tive essa sorte. 


E aos 16 anos, depois de muitos tropeços, através da pessoa que me guiou pela Amorc comecei a esclarecer a mente quanto aos assuntos espirituais. O livro que me deu essa base na época foi o " Autobiografia de um Iogue" . E confesso que este livro marcou tanto que as vezes o releio.


Mas, o post de hoje não é para falar de mim e das minhas aventuras e desventuras no mundo espiritual. 


É mais uma maneira de tentar ajudar aqueles que estão se iniciando na incrível jornada de descobrir a si mesmos.


A primeira dica é: Leia, Leia, Leia, procure em todos os lugares e leia mais um pouco, use livros, revistas, jornais, blogs, google, tudo que estiver ao alcance das mãos ou dos olhos. Hoje a informação é farta e gratuita.


Mas, leia com olhos críticos, selecione o que mais se adapta a você, aos seus gostos, e pratique por um tempo.


Existem muitos sistemas iniciáticos, alguns com muitos pontos diferentes e maneiras diversas de demonstrar sempre as mesmas coisas.


Existe a Wicca, o Xamanismo, Thelema, a Magia Ritual, a Magia do Caos, a Magia Sexual, o Espiritismo em suas varias manifestações, as Religiões, enfim, muitos são os caminhos. Mas os objetivos são sempre os mesmos: Religar você ao absoluto,  á Deus,  á Deusa, ou seja lá que nome as pessoas dão para essa energia universal que nos une num mesmo saco de farinha podre. (desculpem o sarcasmo).


Cada sistema ensina a sua maneira e de acordo com a época em que foi descoberto ou criado.


Meu único conselho negativo é: Não caia nas armadilhas de São Cipriano e seus correlatos. É brincadeira de criança e seu único benefício sério é a diversão, qualquer outra coisa que venha dessas fontes é tempo perdido.


Enfim, após experimentar um pouco cada um desses sistemas sempre se encontra algo que bate exatamente com o que somos. É aí que a sua personalidade mágica começa a ser realmente moldada.


Nesta fase escolha poucos exercícios e no mínimo um ritual e os pratique assiduamente por pelo menos 6 meses. 


Uma boa pedida é o Ritual Menor do Pentagrama invocando pela manhã e banindo a noite. Intercalado por pequenas sessões de Pranayama e Asana.


O motivo? Simples: Não se pode almejar controlar a mente e o espírito sem controlar o corpo físico primeiro.


A partir do momento em que seu corpo obedece docilmente aos seus desejos mais fervorosos ele se aquieta, e com ele a mente segue junto. Deste modo as portas da percepção se abrem e novos mundos podem ser descortinados.


E oque fazer neste momento?


APRENDA.


Nunca utilize certas faculdades para fins egoístas.


Utilize estes acontecimentos para aprender, evoluir. Procure não exagerar nos exercícios, ninguém entra em estado meditativo se morrer de inanição.


Escolha bem o sistema em que irá trabalhar, as deidades com as quais sente mais afinidade, cultue, cultive, adore, medite. 


E quando as duvidas aparecerem (elas sempre aparecem), procure conselhos e ajuda com quem tem mais prática.


E lembre-se, tempo de prática não é sinal de sabedoria. A Parcimônia e o Discernimento são sempre seus melhores guias.


E como disse Don Juan Matus ao Carlos Castaneda: " Quando estiver numa encruzilhada, não importa de que tipo seja, pare, e observe, sinta, qual dos caminhos tem um coração?" 


Onde estiver seu coração, lá estará seu tesouro! Saiba escutar a voz que vem de dentro.


Boa Sorte. Espero ter ajudado em algo.


M.' .

7 comentários:

  1. Auto-domínio primeiro, realmente não é possível ter acesso a determinadas atitudes e dizer-se consciente de si sem antes ter os dois pilares que tornam quaisquer seguimentos inabaláveis e completos, além das leituras e compreender, a prática crítica e concisa do que se faz, além do contato com pessoas experientes, transmites qualidades igualmente inabaláveis em suas palavras...bjs.

    ResponderExcluir
  2. Mais uma vez, muito bom o texto. Gostaria de resaltar uma parte do texto onde você diz para praticar, realmente prática é bom mas sem entendimento dicernimento não é nada. Ta cheio de gente por ai que le milhoes de coisas mistura tudo e sai dando murro em ponta d faca. A informação é de graça mas o verdadeiro conhecimento sempre tem um preço. Use criterios, tenha bom senso, discuta com outras pessoas, assimile conteúdo, "nunca ponha a mão em um formigueiro se você não sabe se esta vasio".

    ResponderExcluir
  3. bom querido, eu me afastei das praticas rituais de qualquer espécie e estou bem assim, mas vou continuar acompanhando seus textos!
    bjos

    ResponderExcluir
  4. Eu digo por experiencia propria não tem coisa mais frustrante do q ser uma "bruxa teorica" mas hoje estou achando o caminho lentamente acho q se não comecei antes foi pq não era a hora certa embora eu quisesse muito.E fui catando caquinhos ate chegar em algo que se adaptasse a mim.Seria otimo se tivesse alguem pra guiar pq assim se for errar,erraria menos e não se perde tanto tempo mas não da pra ficar esperando sem fazer nada sabendo q vc pode tentar.
    Resumindo:Se não tem mestre nem dinheiro OUSE fazer vc mesmo

    ResponderExcluir
  5. Olá. Moro no MT e tenho estudado e praticado sozinha, admito q não tem sido fácil. Sinto a necessidade de ser acompanhada por um iniciado. Estou me mudando para São Paulo este mês, se for possível, gostaria de pedir que alguém entrasse em contato comigo. Meu nome é Iris Goellner, tenho 19 anos, meu telefone é (66)8114-2101.

    ResponderExcluir
  6. Eu também acho difícil sozinha, não sei por onde começar.

    ResponderExcluir
  7. Olá "Anônima", se precisar de uma ajuda ou dica sobre como começar, talvez eu possa ajudar. Envie um e-mail para: marco.damaceno@gmail.com

    Obrigado por acompanhar o Blog!

    ResponderExcluir

Olá, deixe aqui sua mensagem, crítica, sugestão ou elogio. No final, cada palavra dita é importante e serve para aprimorar a informação fornecida pelo autor.

Obrigado.

M.